domingo, 24 de julho de 2011

Portador de esquizofrenia fere primos 22 de Julho de 2011

Após cinco horas de negociação, a Polícia Militar de Acreúna conseguiu deter F.B.M., 27, portador de esquizofrenia. Ele estava em uma fazenda, na zona rural da cidade. Segundo a polícia, ele teve um surto psicótico na noite de quinta-feira e desde então começou uma série de ataques, até mesmo contra os dois primos, que foram baleados por ele. F. ainda ateou fogo na casa do caseiro, matou diversos animais e se trancou em um cômodo, armado com duas facas. A abordagem só foi possível depois que a polícia usou gás de pimenta. Ele foi encaminhado para o hospital da cidade e deve ser internado.
Segundo relatos da família, o surto da noite de quinta-feira iniciou quando o rapaz pegou uma arma e ameaçou matar todos que estavam na casa. Vendo a atitude do filho, o pai foi até a cidade, acionou a polícia e pediu auxílio para os sobrinhos B.G.S., 21, e W.A.P., 20, que se dirigiram até a fazenda.
Ao chegarem lá, não encontraram F., nem a arma que ele teria pego, uma carabina calibre 44. Os dois seguiram em busca do primo que estava no meio do pasto, ainda nas dependências da fazenda. Ao ver o carro se aproximar, F. disparou três tiros contra eles. Um dos tiros acertou o braço de B. e o outro a mão de W., que até a noite de ontem passava por cirurgia para remoção do projétil. De acordo com o sargento Iraci Gonçalves da Costa, W. corre o risco de perder os movimentos da mão, já que a bala está alojada em uma área sensível. Os dois foram conduzidos ao hospital e não correm risco de morte.
Segundo uma amiga da família, F. toma remédios controlados desde pequeno e quando está sob os efeitos do medicamento é uma pessoa tranquila e divertida. De acordo com ela, o suspeito e a esposa teriam mudado a dosagem dos remédios por conta própria. “Eles resolveram trocar a dose do remédio sozinhos e não deu certo. Ele já tava descontrolado quando foi ao médico. O psiquiatra dele não estava e o outro que o atendeu mudou totalmente a medicação, aí ele ficou descontrolado, porque leva um tempo pra adaptar aos remédios de novo” afirmou. A amiga disse ainda que ele é uma pessoa de boa convivência quando está tomando os remédios.
O sargento contou que, depois de ter acertado os dois primos, F. saiu armado com uma faca e chegou a matar galinhas e porcos da fazenda. “Ele chegou a ferir um cão com uma facada nas costas. O bicho mal conseguia se mover. Mas a equipe fez o atendimento do animal, que está bem”, disse.
F. também ateou fogo na casa do caseiro, que ficou parcialmente destruída. Em seguida, ele se trancou em um tipo de galinheiro, portando duas facas. O sargento afirma que até um pastor foi chamado para conversar com o homem para tentar fazê-lo se entregar, mas F. ameçava todos que se aproximavam. “Foram mais de cinco horas de conversa, para tentar acalmá-lo e fazer ele sair de lá. Como não conseguimos, a única maneira que vimos de detê-lo sem machucá-lo foi o uso do gas de pimenta”, disse o sargento Flores. (Manoella Porto)


Fonte:  | Por: http://www.dm.com.br/#!/300204

Nenhum comentário: