maio 08, 2012

Servidores que têm consignado de cartão devem renegociar débito.

A Superintendência da Central de Recursos Humanos da Secretaria de Gestão e Planejamento orienta os servidores estaduais que têm empréstimo consignado, na modalidade cartão de crédito, para procurar a instituição financeira em que efetuaram a transação. O motivo é a renegociação do saldo devedor em até 60 meses, com taxas de juros menores, iguais à de consignado normal.

Ao todo, 19.609 servidores utilizam essa modalidade de consignação, cujas operações foram suspensas pela Portaria 062/2012, baixada pela Segplan no dia 16 de abril último. Esses servidores poderão utilizar a sua margem de 10% consignável referente ao cartão de crédito para parcelar seus saldos. De acordo com a portaria, as instituições financeiras têm prazo de 60 dias para, juntamente com o tomador do crédito, adequar o recebimento do saldo remanescente do empréstimo em consignação.

A suspensão das operações com cartão de crédito se deve às elevadas taxas de juros cobradas nessa modalidade, que ultrapassavam 4,5% ao mês. Já no consignado com desconto na folha de pagamento, atualmente os juros cobrados pelas instituições financeiras são a partir de 1,35% ao mês.

No dia 16 de abril, 15 instituições financeiras foram suspensas temporariamente, por dez dias, de operarem com empréstimo consignado para servidores estaduais. A medida foi motivada pelo grande número de reclamações relacionadas ao não fornecimento do saldo devedor e à retenção da margem do servidor.

Todas as instituições financeiras já foram avisadas pela Segplan sobre a suspensão da operação do consignado com o cartão de crédito. Segundo o secretário Giuseppe Vecci, da Segplan, as medidas adotadas, tanto a suspensão temporária de algumas instituições financeiras como a operação com cartão de crédito, têm como objetivo preservar os direitos dos servidores estaduais.

Estamos buscando fazer com que o Governo do Estado, cada vez mais, intermedie uma melhor relação entre os servidores e o banco, em prol de se ter taxas e informações que possam atender às reivindicações dos servidores”, destaca o secretário.

FONTE:http://www.pm.go.gov.br/PM/index.php?p=PM+leia+noticia&link=2&id=51313

Nenhum comentário:

Postar um comentário