junho 20, 2012

Em programa na TV sobre caso Bruno, mãe diz que pai oferecia Eliza a amigos.

O programa "Até que a Morte nos Separe", com episódio intitulado "Penalidade Máxima", exibido no final da noite desta terça-feira (19) no canal pago "A & E", retratou o sumiço da ex-modelo Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, com mescla de depoimentos de personagens envolvidos nas investigações e de quem acompanhou a trama, mas trouxe poucas novidades para quem aguardava a veiculação do episódio.
Bruno e mais sete réus vão a júri popular, ainda sem data definida, pelo desaparecimento da moça. Um dos pontos altos do programa foi quando Sônia de Fátima Moura, mãe de Eliza, e o advogado José Arteiro Cavalcante, assistente de acusação durante a fase de instrução do processo, fizeram sérias acusações contra o pai da ex-modelo. Segundo o advogado, Luís Carlos Samudio assediava sexualmente Eliza em casa, quando moravam juntos. Já Sônia disse ter ouvido de pessoas que conviviam com o casal que o pai a oferecia a amigos para programas sexuais.
A mulher afirmou ainda que o marido tentou fazê-la abortar, quando estava gestando Eliza, e disse que a filha passou pelo mesmo sofrimento que ela, referindo-se ao fato de Bruno ter supostamente ordenado a Eliza que abortasse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário