fevereiro 22, 2013

Mãe reclama de demora em investigação: “Nos tratam como um nada"



Quase cinco meses se passaram desde que o menino Carlos Eduardo Souza Costa, de dez anos, morreu ao ser atropelado por um trator em um terreno na rua Pernambuco, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O equipamento desceu, sem controle, um terreno baldio e cortou a criança ao meio. Desde 1º de outubro de 2012, a mãe e a avó de Cadu, como era conhecido, vivem cercadas pela sensação de impunidade. A revolta aumentou ao tomarem conhecimento de que o inquérito, que geralmente se encerra em 30 dias, não foi concluído até hoje.
Font:r7

Nenhum comentário:

Postar um comentário