segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Policiais são humanos


Policiais são humanos  - acredite se quiser! - como o resto de nós. Eles vêm em ambos os gêneros, mas na maioria das vezes são do sexo masculino. Eles também vêm em vários tamanhos. Na realidade, depende se você estiver à procura de um deles ou tentando esconder algo. Quase sempre, no entanto, eles são grandes.
Encontra-se policiais em todos os lugares: na terra, no mar, no ar, a cavalo, em viaturas e até na cabeça de quem está fazendo algo errado. Independente do fato de alguns dizerem: - nunca se encontra um deles, geralmente eles estão por perto quando mais se precisa. A melhor maneira de conseguir um é  usando o telefone.
Policiais dão palestras, fazem partos e entregam más notícias. Exige-se que eles tenham a sabedoria de Salomão, a disposição de um cavalo corredor e músculos de aço - muitas vezes são até acusados de terem o coração fundido no mesmo metal.
O policial é aquele que engole a saliva a grandes penas, anuncia o falecimento de um ente querido e passa o resto do dia se perguntando por que, oh Deus, escolhi este trabalho.
Na TV, nos telejornais, quantas vezes é criticado, chegando a ser apontado como vilão. Na vida real, espera-se dele que encontre um menininho loiro, mais ou menos desta altura, numa multidão de quinhentas mil pessoas e que fica se escondendo da polícia porque seus pais o ensinaram a ter medo como forma de educá-lo.
Na ficção, ele recebe ajuda de detetives particulares, repórteres e de testemunhas, que dizem: eu sei quem foi. Na vida real, quase tudo que ele recebe do povo é - eu não vi absolutamente nada. Quando ele dá uma ordem dura, para proteger a vida do cidadão, ou para fazer cumprir a lei, ele é grosso. Se ele usar palavras gentis, é uma mocinha. Para as crianças, ele é um amigo, um super herói, para outras, um monstro, dependendo da opinião que têm seus pais a respeito da Polícia.

Ele vira a noite, dobra escalas e trabalha aos sábados, domingos e feriados; sempre o chateia muito quando parentes ou amigos vem lhe dizer: - Epa, este fim de semana é Carnaval, Semana Santa, Natal, Ano Novo,…, estou à toa, vamos sair, ...
 estas são as épocas do ano em que eles mais trabalham.
Policiais educam muitos filhos, muitas vezes, os filhos dos outros. Um policial vê mais sofrimento, sangue, problemas e alvoradas que uma pessoa comum. Como os carteiros, os policiais têm que estar trabalhando independente das condições do tempo. O uniforme muda de acordo com o clima, mas, a maneira de ver a vida permanece a mesma. Na maioria das vezes é entristecida, mas no fundo, esperando um mundo melhor.
Policiais gostam de folgas, férias e café. Eles não gostam de buzinas, brigas familiares e principalmente autores de cartas anônimas. Eles têm sindicatos, federações e associações, mas não podem fazer greve. Têm que ser imparciais, educados e sempre devem lembrar do slogan  - a seu serviço. Às vezes é difícil, especialmente quando um indivíduo lembra: eu pago impostos, portanto pago seu salário e aí ele também paga impostos, portanto, ele também paga seu próprio salário.
Policiais recebem elogios por salvar vidas, evitar distúrbios, e trocar tiros com bandidos  - de vez em quando sua viúva, sua mãe, recebe o elogio. Mas algumas vezes, o momento mais recompensador é quando, após fazer alguma gentileza a um cidadão, ele sente o caloroso aperto de mão, olha nos olhos cheios de gratidão e ouve: obrigado policial e que Deus te abençoe.
Eu sou um POLICIAL e me orgulho de ser agraciado por DEUS ao gostar do que faço, por dedicar meus anos a uma profissão mesmo com o risco da própria vida, independente de ser ou não reconhecido pela sociedade que eu jurei proteger.

Nenhum comentário: